quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

PERSISTÊNCIA PARA MUDAR

Tem o caso de um rapaz, interno no Centro de Recuperação Imaculada Conceição, que antes teve 35 internações. Trinta e cinco vezes ele recaiu, voltou a usar droga. Mas o que é fascinante é que ele não desistiu. 

Destacado em nome dos monitores, o Henrique Silveira agradeceu a Casa de Recuperação Imaculada Conceição. Disse que este vai ser o quarto Natal que irá passar aqui . “Essa casa devolveu a minha vida. Eu entendo cada um que está aqui agora. Tento passar para os rapazes a importância de criar o vínculo com esse lugar, aquele que sai antes de acabar o tratamento perde a oportunidade de voltar a viver a vida em família”. E continua “eu não me arrependo nenhum pouco de ter feito os nove meses de tratamento, de ter depois permanecido trabalhando na comunidade, tentando sempre entender um pouco mais sobre dependência química, que está aí, destrói famílias e sonhos de jovens. Eu acho que quero continuar por bons anos ainda ajudando nessa obra”, finalizou.

FESTA DE NATAL NO CRIC

Por Regina Lopes

A Festa de Natal foi um sucesso. Tivemos uma graduação, representação do Nascimento de Jesus, pelos mais de 30 voluntários da Pastoral de Casais da Paróquia São Vicente de Paula de Cachoeirinha, e para finalizar - com a participação dos familiares dos residentes - uma farta ceia ao cair da tarde. Reconhecemos que todos os residentes em recuperação travam uma luta árdua para mudar suas vidas, para mudar seus comportamentos, suas atitudes, o que não é uma coisa fácil.A Família CRIC está de parabéns pela vontade dos rapazes de crescerem, de serem mais humanos, terem uma experiência de Deus. E isto nos dá uma grande confiança neles.

A graduação de R.B. foi um momento muito emocionante do evento. Depois da missa, suas irmãs deram seu depoimento mostrando que nunca desistiram dele. O que deu muita coragem ao residente. Ele persistiu e não desistiu da sua vida. Muitos dependentes químicos desistem de lutar e usam droga até morrer, e morrem mesmo, ou na cadeia ou nas ruas. Mas R.B. conseguiu se graduar. “Eu quero agradecer a Deus porque me encontro sóbrio a um ano e dois meses. Hoje é o dia mais importante para mim. Lembro da fase terminal da minha mãe que eu não presenciei, mas tive a sorte de estar no seu último momento, e foi quando ela me disse: Crie juízo e jeito de homem”. 

A grande diferença está em acreditar que as pessoas mudam. Para Deus nada é impossível. E esta mudança acontece quando se está disposto a reconhecer a natureza dos seus próprios erros. Neste momento o PE. Eduardo chamou a cada um para o momento de perdão. Questionou se tinha alguém presente que eles feriram ou magoaram e queriam pedir perdão. Todos cantaram, depois a canção Projeto no Deserto, que diz:

“Que Deus é esse. Ôôô
Que está por perto ôôô
Que fez o seu projeto no deserto.

“ Mudai Senhor o nosso coração para que neste Natal o Senhor nasça nas nossas relações, na nossa família, no nosso coração e renove todo o nosso ser”, disse o Pe. Eduardo.